Os 10 piores alimentos para as crianças

11 de julho 0 comentario(s)

Está cada vez mais difícil montar refeições nutritivas e saborosas para as crianças. As ofertas de produtos industrializados, sem benefício algum para elas estão em todos os lugares: nos comerciais de TV, nas prateleiras dos supermercados, nos outdoors pela cidade. E isso chama a atenção dos pequenos, fazendo eles desejarem aquelas comidas super fotogênicas, mas sem nutriente algum. 
 
A correria do dia a dia também é um dos fatores que dificultam a alimentação saudável - tanto para crianças quanto para os adultos. Esses alimentos prontos acabam se tornando práticos, porém só contribuem para o aparecimento de problemas de saúde, como a obesidade infantil. 
 
No intuito de te ajudar na hora de preparar uma refeição ou comprar snacks para os pequenos, listamos os 10 piores alimentos para eles. Confira a lista - e evite tê-los em casa:

1 - Refrigerante: o queridinho das crianças é o maior vilão, sendo um dos agentes que mais contribui para o sobrepeso infantil. Rico em açúcar, possui alto teor de sódio e, aqueles à base de cola, excesso de fósforo (ácido fosfórico), que contribui para a diminuição do aproveitamento do mineral cálcio pelo organismo. 
 
2 - Sucos industrializados e de soja: engana-se quem pensa que são muito melhores que os refrigerantes. Os sucos industrializados são ricos em açúcares e aditivos (corantes, adoçantes, etc) e aumentam o risco de obesidade e alergias alimentares. Já as opções de soja, além do excesso de açúcar, possuem fitoestrógenos (isoflavonas), que têm atividades semelhantes a hormônios sexuais femininos, podendo aumentar o risco de alterações hormonais precoces. 
 
3 - Embutidos: são ricos em sódio, gordura e nitratos. Aumentam o risco do desenvolvimento de hipertensão arterial e de cânceres. 
 
4 - Salsicha: processada, o ingrediente principal do cachorro-quente tem quatro vezes mais sódio que a carne não processada, além de reunir conservantes à base de nitrato. É um alimento com baixo valor nutricional, mesmo nas versões light e ainda pode contribuir para o surgimento da diabetes e aumenta os riscos de ataques cardíacos. 
 
5 - Bolacha recheada: composta substancialmente de gordura saturada e açúcar, é pobre em vitaminas e minerais, não agregando valor algum à alimentação. Além disso, aumenta o risco de obesidade e diabetes. 
 
6 - Salgadinhos: ricos em gordura, sódio e carboidrato, possuem baixo valor nutricional. Seus componentes podem ser responsáveis pela elevação do colesterol ruim, diabetes e até mesmo hipertensão. 
 
7 - Macarrão instantâneo: constituído basicamente de sódio, açúcar e conservantes, não oferece nenhuma vitamina ou nutrientes para as crianças, podendo até causar alterações no metabolismo infantil. 
 
8 - Sorvete: ele tá na lista dos preferidos da criançada, mas não traz nenhum benefício para a saúde. Rico em açúcar, que é rapidamente absorvido pelo metabolismo e transformado em gordura. Se consumido em excesso, em longo prazo, pode comprometer as artérias, provocando doenças vasculares capazes de afetar rins, coração e cérebro. A dica é substituir por versões naturais, feitas com frutas congeladas e processadas.
 
9 - Balas: podem parecer inofensivas, mas não são. Ricas em açúcar e corantes, as balas aumentam o risco do desenvolvimento de cáries, alergias e obesidade. 
 
10 - Frituras em geral: que criança não adora batata frita? O problema deste alimento não é o ingrediente em si, mas o fato de ser frito. E isto não acontece só com a batata, mas com qualquer fritura. O óleo, quando exposto a altas temperaturas, sofre um processo chamado glicação, fenômeno que vem sendo estudado por sugerir relação com enfermidade cardíacas e câncer. Além disso, ao fritar, o alimento acaba se encharcando de gordura, o que favorece o desenvolvimento de obesidade e de alterações no colesterol. 
 
Depois dessa lista é possível fazer um diagnóstico de como anda a alimentação dos seus filhos. O mais importante é ter consciência e aos poucos ir trocando estes itens por outros mais saudáveis. Com um pouco de criatividade e paciência, as refeições podem se tornar muito mais nutritivas e trazer muito benefícios para toda família.